“…A quem hei de comparar essa geração?”

“…A quem hei de comparar essa geração?”.

(Texto: Diácono Miguel A. Teodoro).

“Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Mt 15, 8-9).

Prezados irmãos e irmãs.

Paz e bem!

Estamos vivendo num mundo de realidades marcantes… Um mundo midiático e célere que se fundamenta no individualismo e na incredulidade de uma geração má e perversa… Uma geração que não tem a mínima noção do que é certo ou errado… Uma geração que não sabe sequer o que é respeito, hombridade, ética e moral… Uma geração massificada pela mídia em geral, sobretudo, pelas redes sociais… Uma geração que, a cada dia, vai se coisificando e perdendo a essência do significado de raciocínio e, pior, do que significa “ser humano”.  Estamos vivenciando a realidade protagonizada por seres coisificados, ou seja, a era de uma geração coisificada.

Meus irmãos e irmãs, diante de fatos e acontecimentos tão crucificantes, no momento atual faz-se necessário que direcionemos nosso olhar para a “Cruz de Jesus”. Naquela cruz está toda a essência  do Amor que levou um Homem a entregar-se ao martírio derramando seu precioso sangue para a Salvação de cada um de nós.

Entretanto, aquele Homem que, ao mesmo tempo em que se entregou àquela cruz para nossa salvação, também nos questiona com seu amoroso gesto e, no seu sofrimento e dor, apesar de ter rogado ao Pai para nos perdoar, uma vez que não sabemos o que estamos fazendo; no silêncio de seu martírio Ele nos pergunta: Quer ser meu seguidor? Quer fazer parte do Projeto de Salvação que o Pai me confiou? Quer ser meu discípulo? Quer ser meu missionário?

O gesto da cruz reivindica uma resposta sincera de todos nós! Porém, é importante dizer que Ele respeitará a resposta que cada um de nós lhe apresentar. Seja a nossa resposta “sim” ou “não”, estaremos fadados quando formos submetidos no “julgamento final”, a viver tanto o paraíso quanto o suplício eterno. No gesto da cruz Ele nos chama a serví-LO.

E, de que forma ou maneira se pode servi-LO? Eis a questão!

Vamos descobrir com o Evangelista Marcos a forma pela qual podemos servir a Jesus. Veja o que está escrito em Mc 16, 15: “…Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura…”.

Meus irmãos e irmãs, diante de fatos e acontecimentos tão crucificantes que vivenciamos nos dias atuais, é tão fácil atender a este apelo que o Mestre nos faz! Para tanto, é só prestarmos muita atenção numa importante ferramenta que milhões de cristãos têm ao alcance de suas mãos. Trata-se de um aparelho manuseado até mesmo por crianças: o telefone celular, através do qual você vai, vê, viaja e longe terra conhece. Mas, de que forma nós o utilizamos? O usamos para fazer o Bem ou fazer o Mal às pessoas? A fazer o Bem ou Mal para si mesmo?

Pois é! Todos nós que possuímos um telefone celular podemos transformá-lo tanto numa ferramenta para Deus quanto para o Diabo, pois devemos honrar a Cristo não somente com os lábios e o coração, mas com todos os meios de comunicação que temos à nossa disposição. Veja quanta coisa boa pode-se fazer com um aparelho de telefone celular. Contudo, a geração coisificada deste tempo em que vivemos, o utiliza de maneira maléfica. Com certeza, à estes Jesus questiona ao dizer: “A que posso comparar esta geração? São como crianças que ficam sentadas nas praças e gritam umas às outras: ‘Nós lhes tocamos flauta, mas vocês não dançaram; cantamos um lamento, mas vocês não se entristeceram’.” Mateus 11:16-17.

Essa geração de hoje é semelhante àquela para a qual Jesus disse as palavras acima. Como afirma Dennis Downing em sua obra “Jesus disse”:

“Esta geração” são as pessoas que rejeitaram Jesus como Messias. A referência não é à natureza cronológica, e sim ao caráter daqueles que não aceitam Jesus como Senhor. É a mesma “geração” que vivia em libertinagem nos dias que antecederam o dilúvio e murmurava e reclamava nos dias da peregrinação no deserto. É a mesma “geração” que rejeita Jesus hoje pelos outros deuses modernos. Elogia a superficialidade do misticismo pós-moderno e reage ao “preconceito” da “antiga” religião Cristã. É a geração que quer um deus que dá um banho de bênçãos em cumprimento de todos os seus desejos consumistas. É a geração que interpreta e reinterpreta a Palavra de Deus para satisfazer suas cobiças. É a mesma geração que não consegue imaginar um Deus que enviaria pecadores para a destruição eterna”.

Realmente, é simplesmente chocante a insensibilidade desta geração má, incrédula e perversa! Os fatos não a negam. Mas, torna-se preocupante o que afirma Jesus quando questiona: “… Acaso serás elevada até o céu? E continua: “…Até o inferno serás rebaixada” (Mt 11, 23a).

Portanto, irmãos e irmãs, ouçamos atentamente o que nos diz Jesus em Mateus 26, 41-42: “…Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca”.

Diante do exposto e alicerçado em meus parcos conhecimentos teológicos posso dizer, com muita convicção, que a obra de Satanás corrompe essa geração incrédula que, através das redes sociais, não mede esforços para denegrir e difamar a Igreja de Cristo e seus dignos representantes.

Satanás anda seduzindo e utilizando pessoas e redes sociais para atacar, ferir, denegrir e acabar com o Cristianismo. Entretanto, devemos dedicar especial atenção às palavras de Jesus, conforme já citamos: Orai e vigiai…

Oremos, sim; vigiemos, sim, pois, penso que Satanás está à espreita de nosso último suspiro para nos levar para o inferno”.

Meus irmãos e irmãs, devemos de ficar atentos, pois, às vezes, inconscientemente, cedemos às tentações do maligno, uma vez que ele tem muitos discípulos e poderosas armadilhas –  armadas em redes sociais poderosas que criam as Fake news e as divulgam como verdades.

Em recente Celebração afirmei que: “Todos os cristãos deveriam usar as redes sociais para evangelizar”.

Portanto, imaginem se isso acontecesse: milhões e milhões de cristãos, independente do credo religioso, obedecendo a ordem de Cristo, segundo os evangelistas: “Ide pelo mundo inteiro e evangelizai…”

Imaginem quantas pessoas seriam resgatadas para Deus! Imaginem quantos que, todos nós, juntos, poderíamos salvar para Deus, com um simples toque em nossos celulares!

Todavia, o que vemos são muitos e muitos cristãos, que utilizam seus celulares espalhando mentiras para derrubar a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Quantas figurinhas maliciosas… Quantas notícias falsas e mentirosas… Quantas pornografias… Quanta maledicência… Quanta concupiscência… Quanta lascívia… Quanta imoralidade… Quanta falta de respeito… Quanta falta de fé em Deus!

Meus irmãos e irmãs, Deus não quer isso de nós, mas infelizmente são as escolhas de muitos que dizem serem seguidores de Jesus Cristo e se auto intitulam de “Cristãos” – escolhas dessa geração má e pervertida, que caminha na contramão do projeto que Deus-Pai homologou, por nós, em seu Filho Amado – no qual ELE depositou toda a sua complacência pela nossa Salvação.

E qual é a resposta dada por essa geração, cujos atos se revelam, de forma tão perniciosa e maléfica, visando a destruição do Reino de Deus implantado por Nosso Senhor Jesus Cristo?

Só sei dizer que tudo isso é muito lamentável.

Não digo somente pelos contínuos ataques que fazem aos dignos representantes da Igreja Católica Apostólica Romana, mas também os contínuos ataques sofridos por outros líderes religiosos de outras denominações, sobre os quais podemos afirmar que são pessoas íntegras, devotas, fervorosas e fiéis a Deus – homens de fé sincera, que doam suas vidas e fazem de tudo pelo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Mas infelizmente, essa geração que aí está faz opção, não pelas obras de Deus, mas pelas obras de Satanás.

Irmãos e irmãs, que Deus tenha piedade e misericórdia de todos nós, pelas vezes que rimos do mal que persegue a Igreja, e pelas vezes que nos omitimos e somos coniventes com as maledicências proferidas contra Jesus Cristo, e por ficarmos calados diante de tanta agressividade à moral e à persona de todos os líderes religiosos.

Tenhamos sempre em mente as palavras de Jesus:

“Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus” (Mateus 10,32-33).

Que todos tenham uma excelente reflexão.

“Paz a todos vós que sois de Cristo”.

Prof. Diácono Miguel A. Teodoro  Prof. Diácono Miguel A. Teodoro

Professor – Escritor e Teólogo Graduado em História – Licenciatura Plena – pela Faculdade de filosofia, Ciências e Letras de Alegre/ES Professor – Escritor e Teólogo Graduado em Teologia pela Faculdade Católica de Anápolis/GO Pós-Graduado (Lacto Sensu) em Ciências Sociais pela Universidade Severino Sombra. Vassouras/RJ Pós-Graduado (Stricto Sensu) Mestre em História Social do Trabalho pela Universidade Severino Sombra. Vassouras/RJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *