Dor no nervo ciático pode ser consequência de um trauma emocional

Microfisioterapia pode ser usada para minimizar e até eliminar dores ligadas ao nervo ciático.

O fisioterapeuta Sérgio Bastos Jr lembra que as dores na coluna, especialmente no nervo ciático, podem ter origem física, mas também serem causadas por traumas vividos e que, se não tratados, podem se tornar dores efetivas no corpo.

O ciático é o maior nervo do corpo humano, chamado, muitas vezes, de “o grande nervo ciático”, lembra Sérgio Bastos Jr. “Quando alguém tem um problema relacionado a ele, pode sentir dores extremas e, inclusive, ter uma certa paralisia do corpo, já que ele começa na coluna lombar e se estende pela perna até o dedão do pé, impedindo que haja movimento sem sofrimento, quando inflamado”.

Segundo o especialista a microfisioterapia pode ser usada para minimizar e até eliminar dores ligadas ao nervo ciático.

Segundo Sérgio, a microfisioterapia atua encontrando a causa primária de dores e doenças, que estão, geralmente, conectadas com memórias traumáticas gravadas em tecidos de determinadas regiões do corpo. “Dependendo do lugar e intensidade dessas memórias (e esse diagnóstico pode ser feito na própria sessão de microfisioterapia), é possível entender a origem e, inclusive, a fase da vida em que o trauma aconteceu”, revela o especialista.

O que é a dor ciática?

A dor ciática geralmente aparece quando existe compressão ou inflamação do nervo. Pode provocar dor intensa no fundo das costas, na região dos glúteos ou pernas, e muita dificuldade em manter a coluna ereta. Como o nervo ciático “passeia” por mais de uma região do corpo, o tipo de dor que sentimos pode ter diferentes origens emocionais, por exemplo. “A nossa coluna indica sempre o quanto estamos certos das nossas verdades e caminhando em direção à vida que desejamos”, lembra Sérgio.

Se a dor ciática está localizada na região lombar, geralmente tem sua origem nessa dificuldade de autossustentação, de orientar e comandar a própria vida. “A coluna é o nosso direcionamento”, revela o fisioterapeuta, “então, como está o seu direcionamento de vida? Você se sente capaz de dirigir seus próprios passos e seguir para onde realmente deseja e manda o seu coração. Essa pode ser uma boa pergunta para quem sofre de dores ciáticas na região lombar”.

A dor na região glútea pode provocar dificuldade de sentar-se, por exemplo. Pode estar conectada a uma questão de poder – “é como se perdêssemos o nosso trono, que pode ser tanto o poder financeiro, a voz de comando, o prestígio. A dor na parte glútea do nervo tem uma conotação de “valor” muito forte”, explica Sérgio.

Já as pernas são nosso meio de locomoção e, ao mesmo tempo, a forma como nos comportamos diante da autoridade e das situações da vida. “Tanto pode estar conectada a um medo de reagir ao novo ou de seguir em busca de seus próprios sonhos, como pode ser uma tradução do receio de ter que se curvar a pessoas ou acontecimentos que não são o que esperávamos. Independentemente de como a dor surgiu, o que mais precisamos entender é que ela pode ter, sim, uma origem emocional”.

“Com a microfisioterapia, encontramos as raízes do que nos aflige, entendendo o tipo de origem que essa dor tem, para que seja tratada de forma física, incluindo exercícios de fisioterapia e tratamento médico adequado, mas também que seja entendida como uma resposta do organismo a um processo traumático que precisa ser resolvido, ou, mesmo com todos os tratamentos, a dor pode voltar a aparecer”, explicou o fisioterapeuta.

Redação Folha Vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *