Mostra de Vídeos Curtas de Guaçuí deste ano vai abordar as queimadas e suas consequências

Na noite desta terça-feira (11), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Guaçuí (Semmam), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Seme), fez o lançamento e apresentou o tema que será abordado na Mostra de Vídeos Curtas Ambiental deste ano aos professores da Rede Municipal, no Teatro Municipal Fernando Torres.

Os vídeos são idealizados e produzidos pelos alunos das escolas do município e, em cada ano, é abordado um tema ligado ao meio ambiente. Este ano o tema será “Queimadas e suas consequências”.

A reunião foi aberta pelo secretário municipal interino de Educação, Liomar Luciano de Oliveira – Mazinho – que explicou o objetivo da reunião que serviu como um dos planejamentos que são realizados pela Seme. Depois a palavra foi passada para o secretário municipal de Meio Ambiente, Roberto Martins, que conversou com os presentes e apresentou um vídeo que contou um pouco da história da Mostra de Vídeos e da implantação da Coleta Seletiva, em Guaçuí, que foi o primeiro tema do projeto, em 2013, apresentando a história de dona Mauzi que vivia do que coletava no lixão – que não existe mais no município – e se tornou a primeira presidente da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Guaçuí (Asguamar).

Roberto Martins colocou que, apesar de estarmos vivendo um período de muitas chuvas, a época da estiagem está chegando também e houve um aumento significativo das queimadas, com 229 focos de incêndio, em 2019, até agosto, na região do Caparaó. “No Brasil, houve um aumento de 82% nas queimadas, entre 2018 e 2019, principalmente, na Amazônia”, completou o secretário que também apresentou dados sobre a coleta seletiva em Guaçuí, a qual chegou a um total de mais de mil toneladas até o final do ano passado. “Com esse tema, o Corpo de Bombeiros será o padrinho da Mostra deste ano e poderá orientar os alunos em muitas situações durante a produção dos vídeos”, comentou.

Em seguida, a servidora da Semmam, Natália Facini, apresentou uma pré-programação para a Semana do Meio Ambiente que irá acontecer entre os dias 1º e 5 de junho, com a Mostra de Vídeos Curtas Ambiental marcada para acontecer no dia 2. “Essa é uma pré-programação, mas estamos abertos a sugestões e algumas modificações ainda podem acontecer”, colocou.

A prefeita Vera Costa também estava presente e fez um agradecimento especial à equipe da Semmam pela dedicação no crescimento da Mostra, além de destacar a importante participação de todo o setor de educação do município para o sucesso do projeto. “Por isso, hoje (terça, 10), resolvemos convidar todos os professores, não só os de Ciências, para que possam se envolver na Mostra, porque tenho certeza que dá orgulho ver os olhos das crianças brilhando e nada seria possível sem o trabalho dos profissionais da educação”, afirmou. “Todos que não conhecem a Mostra ficam surpresos ao ver quanto avançamos na questão ambiental, em nosso município, e o belo trabalho realizado nesse projeto”, completou.

Também estavam presentes o vereador Licinho, a superintendente da Seme, Márcia Oliveira, o aspirante do Corpo de Bombeiros Flávio, e as equipes da Semmam e da Superintendência de Comunicação Social da Prefeitura, responsável pela criação e divulgação do material sobre a Mostra de Vídeos, além dos profissionais que atuam na produção das filmagens e edição dos vídeos.

Histórico

Num breve resumo sobre o histórico da Mostra de Vídeos Curtas Ambiental, é possível perceber que, desde o começo, o projeto tem uma relação com o trabalho feito para acabar com o lixão e a implantação da coleta seletiva em Guaçuí. “O lixão era um lugar onde as pessoas disputavam seu ganha pão com os urubus e, quando assumi a Prefeitura, acabar com aquela realidade se tornou uma prioridade de nossa administração e conseguimos esse objetivo”, destacou a prefeita Vera Costa. “Aquilo não podia continuar e hoje temos nossa Área de Transbordo e o lixão acabou”, completou.

Diante desse quadro encontrado, em 2013, a Prefeitura começou a trabalhar na criação da Asguamar que veio mudar a vida de pessoas como dona Mauzi e conta com o apoio da Prefeitura, por meio da Semmam. Com isso, a Mostra se tornou prioridade para Guaçuí e a coleta seletiva foi abordada na primeira edição da Mostra de Vídeos que passou a acontecer em toda Semana do Meio Ambiente, a partir de 2013, com o tema “Coleta Seletiva: o futuro a gente limpa agora”. O assunto voltou a ser abordado em 2014, na segunda edição da Mostra, tendo como tema “Resíduos Sólidos – Lixo! E eu com isso?!”.

Em 2015, a Mostra de Vídeos abordou um tema importante, diante da seca que assolou a região e até o Brasil, com o tema “Água – a sede que seca!”. E foi nesse ano que o projeto ganhou o Prêmio Sustentabilidade – Troféu Biguá, da TV Gazeta sul, na categoria “Órgão Público”.

A preocupação com a água voltou a ser indiretamente abordada em 2016, tendo como tema o “Plano Municipal de Saneamento Básico – reconhecendo o presente para sanear o futuro”, já que saneamento está diretamente ligado com a qualidade da água que é retornada ao meio ambiente. Enquanto em 2017, a Mostra focou na proteção da flora, com o tema “Mata Atlântica: o futuro em suas mãos” e, em 2018, o foco foi a fauna, abordando o tema “Animais Silvestres: preservar é responsabilidade de todos”.

Finalmente, no ano passado, diante dos resultados da reciclagem em Guaçuí, marcando uma nova realidade no tratamento dos resíduos, no município, a Mostra voltou a ter como tema a “Coleta Seletiva – recicle seu lixo e suas atitudes”. Neste mesmo ano, o projeto voltou a ser premiado, conquistando o Prêmio Boas Práticas, da Amunes, na categoria “Cidade para as pessoas”.

Realidade

A coleta seletiva, hoje, em Guaçuí, é uma realidade do dia a dia da cidade, com 60 Pontos de Entrega Voluntária (PEV) espalhados pela cidade e um total que ultrapassa mil toneladas de lixo reciclado coletado e comercializado pela Asguamar, de 2015 (quando começou o registro da pesagem dos resíduos). Só em 2019, foram quase 350 toneladas coletados pela Associação que, hoje, reúne 19 famílias que tiram o sustento do que antes era apenas lixo e trabalham com dignidade e segurança.

Com esse trabalho, o lixão não existe mais em Guaçuí e os resíduos que não são recicláveis são coletados pela Prefeitura e levados para a Área de Transbordo construído com recursos do município, onde são depositados em caçambas e levados para um aterro sanitário em Cachoeiro de Itapemirim.

Fonte: Aqui Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: