Mulher de 40 anos tem 38 filhos; médica explica os riscos

Gestações acima de três bebês podem gerar risco para a mãe e o feto

Uma mulher da Uganda, no continente africano, tem 40 anos e possui 38 filhos biológicos. A maternidade para Mariam Nabatanzi começou cedo, aos 12 anos de idade, quando ficou grávida pela primeira de gêmeos. Depois ela teve mais cinco pares de gêmeos, quatro casos de trigêmeos e três outros de quadrigêmeos.

A situação é considerada rara pelos especialistas. A médica ginecologista e obstetra, Lorena Baldotto comenta que não havia conhecido uma história como a de Mariam Nabatanzi antes. Mas, que fisiologicamente, apesar de raro, o caso pode acontecer.

“Apesar de nós mulheres nascermos com muitos óvulos e, a cada ciclo, mil se desenvolvam, somente um tem capacidade de virar um folículo dominante (óvulo), que poderá ou não ser fecundado. Mas, em algumas situações pode ocorrer a liberação de mais de um óvulo. É mais comum em mulheres que fazem tratamento para engravidar e tomam indutores de ovulação”, explicou a médica.

Baldotto conta que recentemente uma mulher capixaba teve mais de 4 bebês em um hospital em Vitória. Mas, que o caso da mulher de Uganda surpreende, até mesmo pelos riscos à saúde da mulher.

“Uma gestação acima de três bebês já é um risco muito grande pra mãe, porque quanto mais bebês gestados, resulta em mais placenta, mais líquido e, com isso, mais chances de complicações relacionadas aos fetos”, destacou.

Outro aspecto apontado pela ginecologista é que na gestação, é comum a mulher ter aumento de peso, o que pode causar hipertensão. Principalmente no caso de Mariam Nabatanzi, que além das várias gestações seguidas, a quantidade de bebês gestados foram muitos.

Foto: Divulgação

Dores, cansaço e estrias também são problemas que podem aparecer durante e depois da gravidez. “Não sabemos se em algum momento ela não teve complicações, mas em casos como este, é provável ter. O útero humano não é feito pra gerar muitos filhos. Nossa cavidade é única! O comum é ocorrer uma única gestação, naturalmente até casos de gêmeos, mais acima disso é raríssimo, principalmente repetidas vezes”, comentou a especialista.

Quando questionada a respeito do surgimento de doenças mais graves relacionadas as múltiplas gestações, como um câncer, Baldotto explicou que depende muito do caso e da mulher. Mas, que o comum é o surgimento do câncer, como o de mama por exemplo, em mulheres que nunca tiveram filhos, ou que tiveram gestação acima dos 35 anos.

“O organismo humano é diferente do animal. A gestação da mulher é diferente das ninhadas. Animais mamíferos possuem úteros adaptados pra gestar mais de um filhote e, também, mais glândulas mamárias do que mulheres”, alertou a médica.

Larissa Agnez

Redação Folha Vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *