Petróleo menos poluente do pré-sal se valoriza no mercado internacional e aumenta lucros da Petrobras

Óleo brasileiro tem menor teor de enxofre e cumpre exigência da Organização Marítima Internacional (IMO) para o uso na navegação

As novas regras da Organização Marítima Internacional (IMO) para reduzir a emissão de enxofre tem ajudado a manter altos o valor do petróleo do pré-sal e os lucros da Petrobrás. Isso porque o produto das reservas brasileiras tem baixo teor de enxofre, o que o torna menos poluente. As regras da IMO são voltadas para o óleo utilizado na navegação e começaram a valer em janeiro. A medida já era prevista, então nos últimos anos a estatal investiu em métodos para diminuir a quantidade de enxofre em seus produtos. Por isso, desde o ano passado o petróleo do pré-sal vem sendo valorizado. No começo de 2019 barril era cerca de US$ 4,15 mais barato do que o petróleo Brent, produto estrangeiro usado como referência para o preço do óleo no mundo. No final do ano, o produto brasileiro chegou a ser vendido US$ 4 mais caro do que o Brent. Esse foi um dos fatores que contribuíram para que a Petrobras registrasse o lucro recorde de R$ 40,1 bilhões em 2019, aumento de mais de 55% em relação ao ano anterior.

  • Repórter 
  • Data de publicação: 

Fonte: Agência do Rádio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *