PIB encerra 2020 com queda de 4,1%, segundo IBGE

Esta é a pior retração anual desde o início da série histórica

 

O Produto Interno Bruto, soma de todos os bens e serviços produzidos no Brasil, encerrou 2020 com uma queda recorde de 4,1%. O resultado, divulgado nesta quarta-feira (3) pelo IBGE, interrompe uma sequência de três altas consecutivas, e representa a maior retração anual desde início da série histórica, em 1996. Em valores correntes, o PIB chegou a R$7,4 trilhões.

A coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, explica que o resultado é efeito das medidas para controle da pandemia, que paralisaram, total ou parcialmente, diversas atividades econômicas, em especial às relacionadas ao setor de serviços.

Entre os principais setores, houve alta somente na Agropecuária, de dois por cento, enquanto as atividades da Indústria e do Serviços registraram queda, de 3,5% e 4,5% , respectivamente. Do lado da demanda, o consumo das famílias despencou 5,5% e os investimentos encolheram 0,8%.

De acordo com os dados do Sistema de Contas Nacionais, a economia brasileira enfrentou o pior momento da pandemia no segundo trimestre de 2020. Entre julho e setembro, começaram a aparecer os primeiros sinais de retomada da economia. Já nos últimos três meses do ano, a melhora foi consolidada com o avanço de 3,2% no PIB na comparação com o período anterior. O resultado, no entanto, ainda não foi suficiente para recuperar as perdas registradas entre janeiro e junho.
Ainda de acordo com Rebeca Pallis, a economia brasileira encerrou 2020 em um patamar semelhante ao que se encontrava entre o final de 2018 e início de 2019.

O consumo do governo também registrou queda recorde, de 4,7%. A retração pode ser explicada, ainda segundo o IBGE, pelo fechamento de escolas, universidades, museus e parques ao longo do ano passado.

Por Lígia Souto – Rio de Janeiro

Fonte: Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Error