Por falta de transparência, Campos pode deixar de receber apoio no combate ao coronavírus

O número de casos confirmados de coronavírus no município de Campos chegou a 14 nesta segunda-feira (13), segundo dados oficiais da Prefeitura. Além desses, são outros 24 casos suspeitos e 32 descartados. Uma morte foi registrada.

Mas, os dados apresentados pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, divulgados também nesta segunda (13), mostram outra realidade. São 5 (cinco) casos confirmados na Planície Goitacá. O óbito registrado em Campos ainda não consta nos dados divulgados pelo Estado.

Um ponto de questionamento é o motivo pelo qual a prefeitura não passa o número de casos atualizados para o Governo do Estado, visto que a Secretaria de Estadual de Saúde fornece esses dados para o Ministério da Saúde, que por sua vez, direciona as medidas preventivas com medicamentos e equipamentos, como kits de testagem, com base nos dados apresentados pelos municípios e estados.

Desta forma, se um município não fornecer os dados corretos dentro dos prazos estipulados, este município pode ficar sem assistência necessária do Ministério da Saúde para os casos de coronavírus, e consequentemente sofrer com as consequências, o que seria uma falta de responsabilidade do poder público municipal com a população.

A equipe de reportagem entrou em contato com a prefeitura de Campos para saber o motivo dessa divergência nos números.

Por meio de nota a prefeitura informou, que “o município de Campos se preocupa em, assim que atualizados os números de casos de Covid19, comunicar, imediatamente, à população e ao estado. Ao estado, o comunicado é feito através de um sistema específico. Com relação a este sistema, cabe posicionamento do próprio estado”.

Tal “confusão” gera incerteza na população. Muitos acreditam que os números podem ser maiores, porém outros creem que a doença não vai se expandir no município.

Nas ruas de Campos, o clima segue com uma anormal tranquilidade. Longas filas nos bancos e casas lotéricas. Muitas delas de pessoas que vão receber o benefício do auxílio emergencial de R$ 600,00. A aglomeração de pessoas é um dos riscos para a proliferação da Covid-19.

Enquanto isso, na Avenida 28 de Março, as obras de montagem do Hospital de Campanha seguem em ritmo acelerado. A previsão é que a unidade seja entregue até o dia 30 de abril. Serão 100 leitos disponíveis para atender a população.

Fonte: NF Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *