Senado aprova proposta que permite renegociação de débitos fiscais para empresas no Simples

Projeto visa socorrer micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia da Covid-19; texto segue para sanção presidencial

O Senado aprovou na última terça-feira (16) uma proposta que permite ao Governo Federal parcelar as dívidas fiscais de micro e pequenas empresas enquadradas no Simples Nacional. De acordo com o Projeto de Lei Complementar (PLP), as empresas vão poder negociar os débitos em fase de cobrança administrativa, já inscritos na dívida ativa e em cobrança judicial.

O PLP 9/2020 segue para sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro, e tem o objetivo de ajudar pequenos empreendimentos atingidos pela pandemia do novo coronavírus. O texto estende às empresas enquadradas no Simples Nacional os benefícios da Lei do Contribuinte Legal. Entre as vantagens estão: descontos de até 70% sobre multas, juros e encargos e prazo de até 145 meses para pagamento da dívida. No caso dos maiores negócios, o desconto é de 50% e o prazo é de 84 meses.

Empresários de todo o país recorrem a empréstimos para salvar os negócios

Programa tenta facilitar acesso a crédito para pequenos e médios empreendedores

Receita Federal começa a enviar documentos necessários para que micro e pequenas empresas consigam financiamento

É importante lembrar que a lei não vale para os débitos de ICMS e ISS, cuja cobrança cabe aos estados e municípios. De acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), cerca de 3,5 milhões de contribuintes inscritos em dívida vão poder ser beneficiados.

Fonte: Brasil 61

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *