Sobe para cinco número de mortos por causa das chuvas no Rio

Homem foi arrastado por enxurrada no domingo

Publicado em 03/03/2020 – 10:42 Por Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro encontrou, na manhã de hoje (3), o corpo de Marcelo Souza Oliveira, de 21 anos de idade, que foi arrastado pela enxurrada no domingo (1), em Queimados, na Baixada Fluminense. A corporação foi acionada por volta das 7h e encontrou o corpo na região do Parque Industrial.

Ontem (2), a Secretaria de Defesa Civil (Sedec-RJ) já havia confirmado quatro mortes relacionadas às chuvas fortes que caíram na região metropolitana de sábado (29) até a segunda-feira (2).

Na capital, uma casa desabou no bairro do Tanque, na zona oeste, vitimando Flávio G. da Silva, de 40 anos. Também na zona oeste, uma descarga elétrica na Estrada do Tindiba causou a morte de Vânia R. Nunes, de 75 anos. A Sedec-RJ informa que ainda não é possível relacionar o fato às chuvas.

Um homem se afogou em Acari, na zona norte, e foi levado por moradores para o Hospital Ronaldo Gazzolla. A Defesa Civil não tem a confirmação do nome da vítima. Em Mesquita, na Baixada Fluminense, um deslizamento de terra na Estrada Feliciano Sodré soterrou Mizael P. Xavier, de 62 anos, que morreu.

Desabamento

Na manhã de hoje (3), seis casas desabaram no Jardim América, na zona norte. Segundo o Corpo de Bombeiros, agentes da corporação estão no local, e não há relato de vítimas, por enquanto. Os primeiros sinais de danos apareceram ontem e os moradores já haviam deixado as casas.

Às 8h45 a cidade voltou ao estágio de atenção, depois de ficar em estágio de alerta durante todo o domingo (1) e segunda-feira (2). Segundo o Centro de Operações Rio (COR), houve redução dos acumulados de chuva nas últimas horas e não há previsão de chuva forte para hoje.

A prefeitura ainda atua em 13 ocorrências relacionadas às chuvas, entre elas bolsões de água em Realengo, no Muzema e outros oito pontos da zona oeste da cidade; deslizamento de terra no Parque Estadual da Pedra Branca, em Realengo; deslizamento de pedras em Campo Grande; e no desabamento de imóveis no Jardim América.

Edição: Fernando Fraga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: